NOVEMBRO 2010: IX COLÓQUIO TOBIAS BARRETO

 

 

Ocorrendo, em 2010, o centenário do nascimento de Miguel Reale (1910-2006), sócio fundador do Instituto de Filosofia Luso-Brasileira e seu primeiro Presidente de Honra, e apesar de o IV Colóquio Tobias Barreto, realizado em 1996, haver já sido dedicado ao estudo do seu pensamento e da sua obra, natural seria que este IX Colóquio fosse, de novo, dedicado a esta figura maior da reflexão contemporânea, subordinado, agora, ao tema mais amplo Miguel Reale e o pensamento luso-brasileiro. Será, assim, possível não só abordar aspectos do rico e múltiplo pensamento do autor de Experiência e Cultura incompletamente tratados no Colóquio de 1996, como o seu pensamento político ou filosófico-jurídico ou aspectos da sua obra especulativa posterior àquela data, como, ainda, considerar as relações do grande mestre brasileiro com diversos outros membros da “Escola de São Paulo”.

Por outro lado, e a exemplo do que aconteceu há vinte anos, aquando do I Colóquio Tobias Barreto, o que este ano se realiza incluirá, no seu último dia, um seminário sobre a Filosofia do Conhecimento em Portugal e no Brasil no século XX, visando uma primeira análise sistemática de um importante aspecto da reflexão filosófica em língua portuguesa a que Miguel Reale concedeu relevante atenção reflexiva mas, até hoje, pouco atendida.

 

entidades promotoras

 

Instituto de Filosofia Luso Brasileira

Centro de História da Cultura (FCSH-UNL)

 

apoios

 

Fundação Calouste Gulbenkian

Jerónimo Martins

Sociedade Histórica da Independência de Portugal

Fundação para a Ciência e a Tecnologia

 

PROGRAMA

  

Dia 8, Sociedade Histórica da Independência de Portugal (Largo S. Domingos)

 

16h30: Sessão de Abertura

17h00: Conferência

António Braz Teixeira, “A Ideia de Democracia em Miguel Reale”

 

Dia 9, Sociedade Histórica da Independência de Portugal (Largo S. Domingos)

 

9h30: Comunicações

José Maurício de Carvalho: “Etapas do pensamento ontognoseológico de Miguel Reale”

Bruno Maciel Pereira: “A questão da perspectiva filosófica na meditação de Miguel Reale”

Marco Antônio Barroso: “A metafísica conjectural de Miguel Reale”

 

11h30: Comunicações

Leonardo Prota: “As características distintivas do valor: uma contribuição definitiva de Miguel Reale”

Adelmo José da Silva: “O imorredouro e a superação do historicamente particular no kantismo”

Flávio Alves Martins, “A influência do Culturalismo de Miguel Reale no Código Civil brasileiro de 2002”

Alberto Antunes Abreu, “Positivismo e Anti-Positivismo no final do século XIX”

 

13h00: Intervalo para almoço

 

14h30: Comunicações

Paulo Borges, “Natureza, homem e cultura. Para uma crítica do antropocentrismo em Miguel Reale”

Rui Lopo, “As diferenças culturais como problema filosófico: Miguel Reale, Vilém Flusser e Agostinho da Silva”

Dirk Hennrich, “Historicidade, Responsabilidade e Liberdade em Miguel Reale e Vilém Flusser”

Filipe Delfim Santos, “Correspondência entre Delfim Santos e Miguel Reale”

 

17h00: Comunicações

Leonel Ribeiro dos Santos, “A noção de ‘imagem absoluta’ no pensamento estético de Miguel Reale”

Maria Celeste Natário, “Filosofia da Cultura em Miguel Reale”

Isabel Rosete, “Topologias da Verdade e da Poesia em Miguel Reale”

Rodrigo Sobral Cunha, “O Diálogo com Vico na formação da Filosofia da Cultura Brasileira”

 

Dia 10, Universidade Nova de Lisboa (Av. Berna, Edifício ID, 4º, S. Multiusos 3)

 

9h30: Comunicações

Aquiles Cortes Guimarães: “Filosofia do Direito de Miguel Reale”

Ana Paula Loureiro, “Fontes e Modelos do Direito”

João Maluf Júnior, “O elemento de poder na teoria das fontes e modelos do Direito de Miguel Reale”

 

11h30: Comunicações

Constança Marcondes César, “O problema da liberdade em Miguel Reale”

Alexandro Ferreira de Souza: “O sentido de pensar o nosso tempo: filosofias nacionais”

Renato Epifânio, “Miguel Reale: A filosofia como autoconsciência de um povo”

José Esteves Pereira: “Miguel Reale e a Ideia de Estado”

13h00: Intervalo para almoço

 

14h30: Comunicações

Guilherme de Oliveira Martins, “A actualidade de Miguel Reale e o moderno Estado de Direito”

Paulo Ferreira da Cunha, “Teoria do Direito e teoria tridimensional do Direito em Miguel Reale”

Clara Calheiros, “Pensar o Direito a partir da ‘bilateralidade atributiva’”

João Bigotte Chorão: “Um brasileiro europeu: Joaquim Nabuco”

 

17h00: Apresentação de obras

“Actas do VIII Colóquio Antero de Quental”, por António Braz Teixeira

“A Escola de Braga e a Formação Humanística: tradição e inovação” (Actas) / “A Filosofia da Escola Bracarense” (de António Braz Teixeira), por Joaquim Domingues

“O Movimento Fenomenológico em Portugal e no Brasil” (Actas), por Aquiles Cortes Guimarães

“A corrente idealístico-gnóstica do pensamento português contemporâneo: Antero, Pascoaes, Pessoa” (de Ângelo Alves) e “Revista NOVA ÁGUIA nº6”, por Renato Epifânio

 

Dia 11, Universidade Nova de Lisboa (Av. Berna, Edifício ID, 4º, S. Multiusos 3)

Seminário sobre Filosofia do Conhecimento em Portugal e no Brasil no século XX

 

9h30: Sessão de Abertura, por Luís Manuel Bernardo

 

10h00: Mesa-Redonda

Aquiles Cortes Guimarães, “Farias de Brito”

Samuel Dimas, “Leonardo Coimbra”

Carlos Leone, “António Sérgio”

 

11h00: Mesa-Redonda

Luís Bernardo, “Vieira de Almeida”

José Maurício de Carvalho, “Pontes de Miranda e Djacir Menezes”,

Maria de Lourdes Sirgado Ganho, “Delfim Santos”

 

12h00: Mesa-Redonda

Luís Loia, “Miguel Reale”

Miguel Real, “Miranda Barbosa”

Cristiana Soveral, “Diamantino Martins”

Manuel Cândido Pimentel, “José Bacelar e Oliveira”

 

13h30: Intervalo para almoço

 

16h30: Mesa-Redonda

Joaquim Domingues, “Vilém Flusser”

Constança Marcondes César, “Milton Vargas”

Maria Manuela Brito Martins, “Eduardo Abranches de Soveral”

 

17h30: Mesa-Redonda

António Braz Teixeira, “Heraldo Barbuy e Gilberto de Mello Kujawski”

Marta Mendonça, “Fernando Gil”

 

18h30: Sessão de Encerramento

  

FOTOS DO EVENTO  

Sessão de abertura, no Salão Nobre do Palácio da Independência (na mesa: Luís Manuel Bernardo, Eduardo Sobral, José Esteves Pereira, José Maurício de Carvalho e António Braz Teixeira).

 

Sessão de encerramento, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (na mesa: António Braz Teixeira, José Esteves Pereira, Ângelo Alves e José Maurício de Carvalho).

 

Em diversos momentos do Colóquio: